A Tara de Talita

Anônimo

Jimmy observa sua belíssima esposa Talita vestir com certa dificuldade uma calcinha cor de rosa enquanto lhe fala
– O contrato é muito bom. Sabe como é essa coisa com político. Nesse caso, ele é também juiz da suprema corte do estado. Ele está por trás da firma que ganhou a licitação de divulgação do estado dele. Será igual à Aróssio com a Embratel.
– Mas por que eu terei que ir até o hotel dele para assinar? Isso está me parecendo teste do sofá!
– Não, não minha querida! O juiz é homem muito sério!. O caso é que ele não pode ser visto numa exibição pública de assinatura. Você entende, né?
– Bom… espero que você não esteja vendendo meu corpo!
– Não! Nem quero que você pense assim…
Talita com vinte e dois aninhos tornou-se uma celebridade nacional e em quase todos os países de língua latina. Tudo se deve ao seu belo e exótico corpo que unanimemente acham comparável ao da modelo Hellen Roccha.
Ela agora ajeita os bojudos seios dentro do vestido e não deixa de dar uma apertadinha no bico de um deles que ainda está sensível porque foi chupado, quase a ficar em carne viva, por seu amante Léo.
Isto aconteceu uma hora atrás, enquanto Talita o cavalgava na mesma poltrona em que seu marido Jimmy está sentado agora!
Léo era o motorista particular dela e também o quebra-galho. Sua destreza e seu jogo de cintura, junto com seu natural charme, fizeram Talita se apaixonar por ele. Antes ela foi apaixonada pelo sócio de seu pai, um homem quase trinta anos mais velho. Foi com ele que Talita se tornou um fêmea sexual completa e isso graças ao furor sexual dela!
Mas de repente aparece Léo que era dois centímetros mais baixo que ela, de origem caipira e pobre, casado com uma evangélica.
Não vamos falar aqui como Talita o seduziu, mas fica claro que toda iniciativa foi dela, pois até hoje ele não acredita que está comendo sua famosa patroa.
Uma pequena complicação surgiu quando Talita, que tinha uma compulsão irresistível em dar o cusinho, queria que ele tomasse a iniciativa!
Talita não queria que Léo pensasse que ela fosse uma depravada total. No fundo, no fundo, como qualquer mulher, Talita ansiava que Léo a conquistasse, que a amasse… mas com certa brutalidade.
Assim, logo da primeira vez em que eles foderam, Talita procurava ficar em todas as posições em que sua formosa bunda lhe saltasse aos olhos. Léo, nunca imaginou que teria a seu dispor uma bunda tão famosa e ainda pertencente a sua patroa. Claro que ele deseja enrabar aquela deusa sexual, mas temia que Talita se ofendesse, caso ele mencionasse isso. Mas só em pensar na possibilidade de comer o cusinho dela, sua tesão parecia nunca acabar e Talita por mais que admirasse isso, ainda não sentia plenamente saciada se ele não lhe pedisse pra comer o cusinho!
No dia seguinte desta primeira trepada, Talita junto com sua equipe estavam num Studio de televisão e num dos intervalos da gravação, ela conseguiu levar Léo pra um dos camarins e enquanto o beijava, buscava por sua rola, tentando baixar o zíper da calça.
– Seu desgraçado! Não consigo chegar perto de você sem sentir essa tezão doida!! – Sussurra Talita enquanto é correspondida com beijos e Léo ajuda a soltar sua rola pra fora da calça.
-Aaah! Eu não resisto a essa rolona…a essa textura! Tenho que sentir o… sabor!
Léo segura com ambas as mãos a face de sua patroa -fêmea e a beija passionalmente. Talita se derretendo toda, consegue encaixar a rola dele entre sua torneadas coxas e esfrega uma na outra dando um maravilhoso amasso naquela coluna endurecida de músculo e sangue!
A excitação é enorme em ambos. É questão de segundos que eles vão gozar! Talita desfaz o beijo porque precisa arfar e respirar ao mesmo tempo. Então aconteceu o primeiro ato que Talita tanto esperava de seu empregado… de seu macho!
Léo, ainda segurando o rosto dela, a faz gentilmente se abaixar, insinuando o que ele queria que sua patroa lhe fizesse urgentemente!
– Vai…vai dona Talita, minha putinha! Dê uma mamada nesse meu guerreiro! Esse caralho que nunca… nunca mesmo, imaginou que teria seus lábios em volta dele!
Talita está acocorada diante de Léo com as mãos se apoiando em cada coxa dele. Sua boquinha está semi-aberta quase se encostando à glande que brilha e dá pequenos pulos. Talita levanta os verdes olhos e passa a lingüinha pelos lábios, esperando que ele perca o autocontrole.
– Você gostaria que te chupasse, não é?… até você gozar em minha boquinha? Você quer? Quer gozar em minha boquinha, quer?
– Sim! Sim! Eu…depois farei… farei tudo! Tudinho o que a senhora quiser!
– Mas… Isso não é pecado? Você colocar toda essa rolona em minha boquinha e me sufocar até gozar dentro dela? Eu vou ter que engolir? Vou?
Léo não se controla mais e faz exatamente o que Talita desejava. Com uma das mãos ele coloca atrás da cabeça dela e com a outra mão segura sua rola, firmando para que os lábios de Talita se ovalasse em volta da ponta da cabeçona!
Talita fecha os olhos para saborear melhor o gosto da aveludada glande que lhe enche todo o interior da boca. Ela já sente um pouco do leite agridoce na língua que tenta se enroscar na bojuda cabeçorra de seu empregadinho!
Mas, ela quer se sufocar! Quer se sentir entupida, violada oralmente por aquele homem, pelo macho por quem está apaixonada!
Léo vê admirado o rosto de sua patroa avançar para frente, fazendo sua tora ir sumindo a medida que avança, dá uma rápida paradinha e avança de novo, até chegar a base de sua pica e o que queixo dela acariciar seus escrôtos! Ali, Talita permanece sugando desesperadamente como se procurasse por ar e sentindo toda a rola se inchar prenunciando que ia explodir como um vulcão!
Baba já começa escorrer por entre os lábios dela e a grossura da rolona de Léo. Ajoelhada a sua frente, Talita acaba de ter seu primeiro orgasmo enquanto mantém a rola inteirinha dentro da boca que lhe vai até o fundo da garganta. Léo pensa que ela está engasgada e se sufocando sem ter forças para parar com o boquete.
Ele pára, faltando pouquíssimo para sua explosão de esperma dentro da boquinha daquela bela mulher e com cuidado vai deslizando sua rolona pra fora dos lábios da sua bela patroa!
– Não! Ainda não, Léo! Goza! Goza dentro! Deixa eu engolir toda tua esporra!
Léo percebe que ele pode tudo com aquela mulher! Talita lhe pertence. Ele é seu dono agora! Ele sabe que até a bunda dela, é dele!
Ele se abaixa, pega os braços dela e a levanta. Talita está ainda surpresa com esse súbito movimento dele, quando abruptamente se vê virada e seus seios são amassados de encontro a parede. Seu vestido é levantado e sente quando a calcinha é puxada para o lado e a rola do seu macho se encaixa no rego de sua bundona! Então Léo explode!
– Aaaaah… sua putona! Sua rampeira adorada! Aaaah… tô…tô gozando…gozando! Que bunda! Que bundinha! Tô gozando! Tô gozando… de novo!
A boca de Léo está colada a nuca recoberta de cabelos de Talita enquanto ele lhe dá mangueiradas e mangueiradas de esperma por entre as polpas da bundinha!
Ela se sente agraciada com os fortes empurrões que todo o corpo de Léo lhe dá enquanto a quentura do esperma lhe chega até acima das nádegas e já começa a escorrer para baixo.
– Talita! Talita! Você tá aí dentro? Eles vão recomeçar dentro de cinco minutos. – Léo e Talita prendem a respiração por uns segundos ao escutarem a voz de Melissa, a secretária.
– Sim. Estou aqui relaxando neste escurinho. Vá, vá dizer a eles que já estou indo!
Um minuto depois a porta se abre e uma Talita recomposta sai andando calmamente para que ninguém note seu estado emocional.
Ficou combinado que Léo ficaria no camarim o máximo de tempo possível. Mas, através da porta semi aberta, ele vê o vestido de Talita com manchas molhadas por seu esperma , na parte posterior e no rego entre as nádegas.
Imediatamente, ele corre até um bebedouro, enche um copo e, um momento antes de Talita entrar em cena, ele se aproxima o bastante pra lhe derramar a água no local onde estavam as manchas de esperma!
– Oh! Perdão dona Talita! Eu tropecei e…
– Seu estúpido! Olha o que você fez! Caipira desastrado! Venha Talita, venha! Só temos um minuto pra trocar por outro vestido!
Talita entendeu perfeitamente a atitude de Léo e disfarçadamente lhe deu uma piscadela e um sorriso com a promessa que da próxima vez, todo o esperma ficaria guardado dentro de cusinho dela.

A Tara de Talita

Jimmy observa sua belíssima esposa Talita vestir com certa dificuldade uma calcinha cor de rosa enquanto lhe fala
– O contrato é muito bom. Sabe como é essa coisa com político. Nesse caso, ele é também juiz da suprema corte do estado. Ele está por trás da firma que ganhou a licitação de divulgação do estado dele. Será igual à Aróssio com a Embratel.
– Mas por que eu terei que ir até o hotel dele para assinar? Isso está me parecendo teste do sofá!
– Não, não minha querida! O juiz é homem muito sério!. O caso é que ele não pode ser visto numa exibição pública de assinatura. Você entende, né?
– Bom… espero que você não esteja vendendo meu corpo!
– Não! Nem quero que você pense assim…
Talita com vinte e dois aninhos tornou-se uma celebridade nacional e em quase todos os países de língua latina. Tudo se deve ao seu belo e exótico corpo que unanimemente acham comparável ao da modelo Hellen Roccha.
Ela agora ajeita os bojudos seios dentro do vestido e não deixa de dar uma apertadinha no bico de um deles que ainda está sensível porque foi chupado, quase a ficar em carne viva, por seu amante Léo.
Isto aconteceu uma hora atrás, enquanto Talita o cavalgava na mesma poltrona em que seu marido Jimmy está sentado agora!
Léo era o motorista particular dela e também o quebra-galho. Sua destreza e seu jogo de cintura, junto com seu natural charme, fizeram Talita se apaixonar por ele. Antes ela foi apaixonada pelo sócio de seu pai, um homem quase trinta anos mais velho. Foi com ele que Talita se tornou um fêmea sexual completa e isso graças ao furor sexual dela!
Mas de repente aparece Léo que era dois centímetros mais baixo que ela, de origem caipira e pobre, casado com uma evangélica.
Não vamos falar aqui como Talita o seduziu, mas fica claro que toda iniciativa foi dela, pois até hoje ele não acredita que está comendo sua famosa patroa.
Uma pequena complicação surgiu quando Talita, que tinha uma compulsão irresistível em dar o cusinho, queria que ele tomasse a iniciativa!
Talita não queria que Léo pensasse que ela fosse uma depravada total. No fundo, no fundo, como qualquer mulher, Talita ansiava que Léo a conquistasse, que a amasse… mas com certa brutalidade.
Assim, logo da primeira vez em que eles foderam, Talita procurava ficar em todas as posições em que sua formosa bunda lhe saltasse aos olhos. Léo, nunca imaginou que teria a seu dispor uma bunda tão famosa e ainda pertencente a sua patroa. Claro que ele deseja enrabar aquela deusa sexual, mas temia que Talita se ofendesse, caso ele mencionasse isso. Mas só em pensar na possibilidade de comer o cusinho dela, sua tesão parecia nunca acabar e Talita por mais que admirasse isso, ainda não sentia plenamente saciada se ele não lhe pedisse pra comer o cusinho!
No dia seguinte desta primeira trepada, Talita junto com sua equipe estavam num Studio de televisão e num dos intervalos da gravação, ela conseguiu levar Léo pra um dos camarins e enquanto o beijava, buscava por sua rola, tentando baixar o zíper da calça.
– Seu desgraçado! Não consigo chegar perto de você sem sentir essa tezão doida!! – Sussurra Talita enquanto é correspondida com beijos e Léo ajuda a soltar sua rola pra fora da calça.
-Aaah! Eu não resisto a essa rolona…a essa textura! Tenho que sentir o… sabor!
Léo segura com ambas as mãos a face de sua patroa -fêmea e a beija passionalmente. Talita se derretendo toda, consegue encaixar a rola dele entre sua torneadas coxas e esfrega uma na outra dando um maravilhoso amasso naquela coluna endurecida de músculo e sangue!
A excitação é enorme em ambos. É questão de segundos que eles vão gozar! Talita desfaz o beijo porque precisa arfar e respirar ao mesmo tempo. Então aconteceu o primeiro ato que Talita tanto esperava de seu empregado… de seu macho!
Léo, ainda segurando o rosto dela, a faz gentilmente se abaixar, insinuando o que ele queria que sua patroa lhe fizesse urgentemente!
– Vai…vai dona Talita, minha putinha! Dê uma mamada nesse meu guerreiro! Esse caralho que nunca… nunca mesmo, imaginou que teria seus lábios em volta dele!
Talita está acocorada diante de Léo com as mãos se apoiando em cada coxa dele. Sua boquinha está semi-aberta quase se encostando à glande que brilha e dá pequenos pulos. Talita levanta os verdes olhos e passa a lingüinha pelos lábios, esperando que ele perca o autocontrole.
– Você gostaria que te chupasse, não é?… até você gozar em minha boquinha? Você quer? Quer gozar em minha boquinha, quer?
– Sim! Sim! Eu…depois farei… farei tudo! Tudinho o que a senhora quiser!
– Mas… Isso não é pecado? Você colocar toda essa rolona em minha boquinha e me sufocar até gozar dentro dela? Eu vou ter que engolir? Vou?
Léo não se controla mais e faz exatamente o que Talita desejava. Com uma das mãos ele coloca atrás da cabeça dela e com a outra mão segura sua rola, firmando para que os lábios de Talita se ovalasse em volta da ponta da cabeçona!
Talita fecha os olhos para saborear melhor o gosto da aveludada glande que lhe enche todo o interior da boca. Ela já sente um pouco do leite agridoce na língua que tenta se enroscar na bojuda cabeçorra de seu empregadinho!
Mas, ela quer se sufocar! Quer se sentir entupida, violada oralmente por aquele homem, pelo macho por quem está apaixonada!
Léo vê admirado o rosto de sua patroa avançar para frente, fazendo sua tora ir sumindo a medida que avança, dá uma rápida paradinha e avança de novo, até chegar a base de sua pica e o que queixo dela acariciar seus escrôtos! Ali, Talita permanece sugando desesperadamente como se procurasse por ar e sentindo toda a rola se inchar prenunciando que ia explodir como um vulcão!
Baba já começa escorrer por entre os lábios dela e a grossura da rolona de Léo. Ajoelhada a sua frente, Talita acaba de ter seu primeiro orgasmo enquanto mantém a rola inteirinha dentro da boca que lhe vai até o fundo da garganta. Léo pensa que ela está engasgada e se sufocando sem ter forças para parar com o boquete.
Ele pára, faltando pouquíssimo para sua explosão de esperma dentro da boquinha daquela bela mulher e com cuidado vai deslizando sua rolona pra fora dos lábios da sua bela patroa!
– Não! Ainda não, Léo! Goza! Goza dentro! Deixa eu engolir toda tua esporra!
Léo percebe que ele pode tudo com aquela mulher! Talita lhe pertence. Ele é seu dono agora! Ele sabe que até a bunda dela, é dele!
Ele se abaixa, pega os braços dela e a levanta. Talita está ainda surpresa com esse súbito movimento dele, quando abruptamente se vê virada e seus seios são amassados de encontro a parede. Seu vestido é levantado e sente quando a calcinha é puxada para o lado e a rola do seu macho se encaixa no rego de sua bundona! Então Léo explode!
– Aaaaah… sua putona! Sua rampeira adorada! Aaaah… tô…tô gozando…gozando! Que bunda! Que bundinha! Tô gozando! Tô gozando… de novo!
A boca de Léo está colada a nuca recoberta de cabelos de Talita enquanto ele lhe dá mangueiradas e mangueiradas de esperma por entre as polpas da bundinha!
Ela se sente agraciada com os fortes empurrões que todo o corpo de Léo lhe dá enquanto a quentura do esperma lhe chega até acima das nádegas e já começa a escorrer para baixo.
– Talita! Talita! Você tá aí dentro? Eles vão recomeçar dentro de cinco minutos. – Léo e Talita prendem a respiração por uns segundos ao escutarem a voz de Melissa, a secretária.
– Sim. Estou aqui relaxando neste escurinho. Vá, vá dizer a eles que já estou indo!
Um minuto depois a porta se abre e uma Talita recomposta sai andando calmamente para que ninguém note seu estado emocional.
Ficou combinado que Léo ficaria no camarim o máximo de tempo possível. Mas, através da porta semi aberta, ele vê o vestido de Talita com manchas molhadas por seu esperma , na parte posterior e no rego entre as nádegas.
Imediatamente, ele corre até um bebedouro, enche um copo e, um momento antes de Talita entrar em cena, ele se aproxima o bastante pra lhe derramar a água no local onde estavam as manchas de esperma!
– Oh! Perdão dona Talita! Eu tropecei e…
– Seu estúpido! Olha o que você fez! Caipira desastrado! Venha Talita, venha! Só temos um minuto pra trocar por outro vestido!
Talita entendeu perfeitamente a atitude de Léo e disfarçadamente lhe deu uma piscadela e um sorriso com a promessa que da próxima vez, todo o esperma ficaria guardado dentro de cusinho dela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s