DESENCONTRO

Menino, Criança, Triste, Sozinho

Quando eu quis

fazer um álbum de lembranças

colecionar em ordem de importância

recordações que eu tinha

na insônia feliz,

a sua imagem, a amais querida,

do amor que eu amei por toda a vida,

já não estava mais focalizada

como eu a via, muitos anos atrás.

Quando eu tentava

gravar  na mente as palavras ditas

entre risos que me faziam bem,

das quais achava graça

nos momentos felizes que tivemos,

restava sempre esses sons estranhos,

murmúrios  que já não entendo,

sem a beleza da voz

que me trazia a paz.

E da vontade louca de reconstrução

do passado lindo que vivi, então,

só me restou a certeza, neste presente triste,

de buscar a sua imagem, que não mais existe

e de querer ouvir a sua voz

em vão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s