FACE A FACE NO FACE

FACE A FACE NO FACE

Sempre gostei de ficar no computador até mais tarde. Primeiro, para acessar meus e-mails, os pessoais e o corporativo. Segundo, para buscar algum artigo interessante, noticias mais recentes que as noticiadas nos jornais ou novidades em ofertas nas lojas virtuais ou não. Mas, confesso, nunca gostei muito de estar logado em redes sociais, tipo orkut, facebook, msn. Sempre achei que participar seria me colocar muito em evidência, permitir que houvesse invasão da minha privacidade. Mesmo assim, de tanto ouvir dizerem que era antiquado, retrògrado e arcaico, resolvi fazer um perfil e torná-lo público. Fiz logo três: orkut, facebook e msn. Criei minha senha e me esqueci. Só que não atentei para um detalhe: ao fazer os perfis eu os deixei em acesso automático, para serem abertos assim que meu notebook fosse conectado à internet. Como utilizo em casa um sistema de rede, meu acesso tornou-se automático por wireless.

Uma noite, estava lendo um artigo sobre ficção científica quando percebi que alguém estava me chamando no facebook. Vi que era uma amiga que não via há tempos, de quem tinha boas lembranças.

Ficamos teclando e recordando os tempos em que convivíamos juntos. A conversa aconteceu naturalmente e depois nos despedimos e fiquei mais um pouco no computador indo em seguida direto para a cama, onde logo peguei no sono. E sonhei com ela. Ah, como foi bom sonhar com ela…

O seu corpo se contorcia como se quisesse fugir do meu corpo mais parecendo uma dança inimaginável do ventre. Para cima, para baixo, para o lado, para o outro lado, novamente para cima, para baixo, num ir e vir interminável. Eu a penetrava de maneira profunda e ela emitia gemidos suaves que iam aumentando de tonalidade enquanto pedia – mais, mais, mais, agora, agora, gostoso, gostoso”– e quando ia explodir em gozo… acordei sentindo o coração batendo forte e rápido. Não dormi mais imaginando o quanto seria gostoso estar com ela, de maneira real.

Passei todo o dia inquieto, sem lugar, lembrando-me do sonho inacabado. Antegozando o momento de estar novamente com ela, a noite. Será que voltará para falar mais comigo, eu pensava. Não, acho que não virá. Foi só ontem. Não ela precisa vir, eu dizia para mim.  Tem que vir.

Quando naquela noite liguei o computador percebi que ela já estava lá, a minha espera. Me saudou com um olá, você está bem? E começamos a nos falar. Eu confesso que fiquei ouriçado e logo lhe disse que havia sonhado com ela. Perguntou se o sonho tinha sido bom e quando eu disse que sim, mas que tinha sido frustrante, me falou – me conta – com toda a naturalidade. Eu lhe disse que não poderia contar, que se contasse ela brigaria comigo. Então, com a maior simplicidade do mundo ela me disse – aposto que sonhou que estávamos transando. Eu lhe contei o sonho. E enquanto eu falava ia crescendo em mim um tesão enorme. Então eu lhe disse que só o fato de contar a ela o sonho já estava me deixando com tesão e ela perguntou – de pau duro? – eu disse que sim. Foi quando ela me disse – ah, eu quero ver agora, liga a câmera. Eu lhe disse,  agora? Ela disse que sim.

Liguei a câmera e a vi. Estava linda, vestida com uma camisola preta, bordada nas pontas, com um decote que deixava ver seus seios. Ela, que sempre fora muito bonita no tempo em que nos víamos, estava encantadora. Belas pernas. Cintura perfeita. Os seios, mesmo escondidos davam, a certeza de serem bem feitos e empinados. Perguntou e ai, está gostando do que vê? eu disse que sim e ela então começou uma dança suave, rebolando os quadris levemente, enquanto ia tirando a camisola. Ficou apenas de calcinha. Eu a olhava embevecido, extasiado e cheio de tesão. Ela me disse – por  quê você não me mostra como está pra eu ver se está de tesão mesmo, quero ver você de pau duro. Fui tirando a roupa, ficando nu. Comecei a me tocar também e acabamos, os dois, gozando juntos, embora apenas nos vendo. Deve ter sido a melhor punheta que bati em toda a minha vida. Depois de gozar, desligamos o computador e fomos, os dois, dormir. Cada um em sua casa. Cada um em sua cama. Os dois satisfeitos e felizes. Tinha sido uma punheta face a face no Face.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s